Mais de 40 mil condutores estão com a CNH suspensa e cassada no Espírito Santo

Postado por kitosvideolocadora@hotmail.com. Categoria: Acidente, Cultura, Cursos, Destaque, Dinheiro, Economia, Educação, Entretenimento, Escolas, Estado, Geral, Informática, Justiça, Nacional, Norte Capixaba, Polícia, Região Serrana, Segurança, Sem categoria, Sul Capixaba, Transito, Vitória-ES

Tags: , , , , ,

Publicado em 22 Janeiro, 2018 com Sem Comentários

Os dados foram divulgados pelo Detran-ES. Saiba a diferença entre a CNH suspensa e cassada.

Mais de 40 mil condutores estão com a Carteira de Habilitação Nacional (CNH) suspensa e cassada no Espírito Santo, mas parte deles ainda continua dirigindo.

Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (DETRAN/ES), em 2017, 40.029 mil condutores tiveram a carteira de habilitação bloqueadas, sendo 38.386 mil por suspensão e 1.643 por cassação.

Diferença entre a CNH suspensa e cassada

-> Suspensão: a suspensão da CNH acontece quando o motorista atinge 20 pontos de penalização dentro do período de um ano. Assim que notificado sobre a suspensão, o motorista pode apresentar uma defesa em relação as multas que constam em seu nome. Se o pedido for indeferido ou caso a defesa não for apresentada, o motorista terá a carteira suspensa por até 12 meses.

O condutor deve entregar sua carteira em uma unidade de trânsito, onde receberá autorização para realizar um curso de reciclagem, em Centros de Formação de Condutores (CFC’s/autoescolas) de qualquer município do Estado. Ele deve ser realizado durante o período em que o condutor estiver proibido de dirigir.

-> Cassação: ter a carteira de motorista cassada é um ato mais grave do que a suspensão, podendo ocorrer em diversos casos. Quem cometer uma nova infração dirigindo no período de suspensão ou que for reincidente na suspensão dentro de 12 meses, por exemplo, terá a habilitação cassada. Após a notificação, o motorista terá 30 dias para apresentar a defesa junto ao Detran. Caso o pedido seja indeferido, o condutor fica impedido de dirigir por um período de 2 anos.

A contagem do prazo da penalidade começa com a entrega da CNH, que o proíbe de dirigir e o impede de emitir a segunda via ou renová-la. Cumprido o prazo de cassação e iniciado o processo de reabilitação, o motorista deve fazer o curso de reciclagem, oferecido por centros de formação de condutores (CFCS/autoescolas), após ser considerado apto no exame médico e na avaliação psicológica.

Sem Comentários

Comentários de Mais de 40 mil condutores estão com a CNH suspensa e cassada no Espírito Santo estão bloqueados