Preso marido que matou servidora em Itapemirim

Postado por kitosvideolocadora@hotmail.com. Categoria: Agressão, Assassinato, Campo Acima, Destaque, Estado, Geral, Interior, Itaipava, Itapemirim, Justiça, Nacional, Polícia, Segurança, Sem categoria, Sul Capixaba, Vila de Itapemirim, Vitória-ES

Tags: , , , ,

Publicado em 16 outubro, 2017 com Sem Comentários

O marido da servidora pública, Claudiana Bom Macota, de 35 anos, encontrada morta em um terreno abandonado na Praia da Gamboa, em Itapemirim, foi preso na última sexta-feira (13).

Preso marido que matou servidora em Itapemirim. Adimilson de Souza da Cruz, de 43 anos, foi preso em casa e não reagiu à prisão.

Adimilson de Souza da Cruz, de 43 anos, foi preso em casa e não reagiu à prisão. Ele aguardava em liberdade o mandado de prisão ser expedido pela justiça do município após confessar a autoria do crime.

De acordo com o delegado da 9ª Delegacia Regional de Itapemirim, Djalma Pereira Lemos, Adimilson contou ter asfixiado a esposa durante quatro minutos e que matou a vítima porque desconfiava de que a mulher mantinha relacionamentos extraconjugais, o que não foi confirmado, segundo o delegado.

Após matar Claudiana, o acusado limpou a casa para não deixar pistas do crime e abandonou o corpo em um matagal. Em seguida, ele foi para casa da mãe, que fica em Campo Acima, interior de Itapemirim.

Familiares da vítima fizeram apelos na internet após o desaparecimento da mulher. A informação passada pelo marido de Claudiana era que ela teria saído para caminhar e desaparecido em seguida.

O corpo da vítima foi encaminhado ao Serviço Médico Legal de Vitoria, onde passa por exames de DNA para identificação. Segundo o delegado, o corpo deve ser liberado nos próximos 15 dias para o sepultamento. Já Adimilson foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Marataízes onde ficará à disposição da justiça.

 

Veja a matéria sobre o crime:

Marido confessa ter esganado a esposa por mais de 4 minutos dentro do seu quarto

 

Feminicídio – Marido confessa ter esganado a esposa por mais de 4 minutos dentro do seu quarto

O delegado da 9ª Delegacia Regional de Itapemirim, Dr. Djalma Pereira Lemos, informou hoje (10), pela manhã, que o marido da servidora pública do município de Itapemirim, Claudiana Bom Macota, de 35 anos, confessou o assassinato da esposa. Ele disse ter esganado a gari por mais de 4 minutos dentro do seu quarto.

Segundo Djalma, já havia evidências de que o esposo teria cometido o crime. Na noite desta segunda-feira (09), em depoimento, ele confessou ter matado Claudiana com as próprias mãos por ciúmes.

“Ele estava desconfiado de que ela o traía e disse que se descobrisse a mataria”, comentou Djalma. Os dois estavam casados há 16 anos e têm uma filha de 15. Conforme comentou o delegado que investiga o caso, o acusado contou friamente como foi que matou a própria mulher. A polícia preferiu preservar o nome dele, até que seja feita a identificação da vítima. Conforme as investigações, ele desconfiava que estava sendo traído, mas isso não foi confirmado.

Em depoimento, o marido relatou à polícia que na última quinta-feira (05), o casal estava em sua residência, quando desconfiado, pediu que Claudiana colocasse a senha de sua rede social em seu celular, para que ele pudesse acessá-lo, mas ela se recusou. Eles iniciaram uma discussão e ele a esganou até a morte dentro de seu quarto. Ele disse ter esganado a gari por mais de 4 minutos. Com a pratica deste crime ele pode ser indiciado por feminicídio, homicídio qualificado por motivo fútil, utilização de meio cruel e asfixia, sem possibilidade de defesa da vítima. A pena de prisão para homicídio simples varia de 6 a 20 anos. No caso do homicídio qualificado, onde se incluirá o feminicídio, a pena vai de 12 a 30 anos.

O delegado explicou que o homem foi ouvido, confessou o crime, assinou seu depoimento e foi liberado e está sob vigilância até que se confirme a identidade do corpo encontrado.          Foto: Marcos Kito

Depois disso, ele a colocou o corpo da esposa morta no sofá e arrumou a casa, para que os filhos, ao chegarem, não percebessem que eles haviam brigado. Segundo informações, o filho dele havia saído para faculdade e a filha do casal, que tem um relacionamento estável não mora junto dos pais.

Logo em seguida, o marido colocou o corpo da esposa morta no carro e levou para a área de mata na Praia da Gamboa, no distrito de Itaipava, em Itapemirim, onde desovou o corpo. O local fica aproximadamente dois quilômetros da casa do casal.

“Ele já vinha planejando esse crime há um tempo. Tanto que havia uma pá e um cova próximo ao corpo da vítima, que deve ter sido cavada há mais de duas semanas”, menciona Djalma.

O crime aconteceu por volta das 18h e o marido ligou para a filha às 20h30 para falar do desaparecimento e contou que ela tinha saído para caminhar. “Não é comum alguém sair das 18h às 20h30 e o marido já dá como desaparecida. Ele falou que a mulher ia ao salão, mas Claudiana não frequentava salão”, contou o Lemos.

O delegado explicou que o homem foi ouvido, confessou o crime, assinou seu depoimento e foi liberado e está sob vigilância até que se confirme a identidade do corpo encontrado. “Estamos correndo para que o corpo seja identificado. No momento, estamos reunindo as provas e ele não pode ser preso até que saia o resultado do exame de DNA. Quando for confirmado que o corpo é de Claudiana, faremos a formalização da prisão”, comenta.

A filha do casal e uma irmã de Claudiana foram chamadas para que o material para o exame de DNA seja colhido. O teste será feito no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.

 

Sem Comentários

Comentários de Preso marido que matou servidora em Itapemirim estão bloqueados