Tragédia em Linhares: pedido de nova perícia na casa de pastor

Postado por kitosvideolocadora@hotmail.com. Categoria: Abuso Sexual, Acidente, Assassinato, Cultura, Destaque, Dinheiro, Economia, Emprego, Entretenimento, Estado, Geral, Internacional, Justiça, Mundo, Nacional, Norte Capixaba, Polícia, Região Serrana, Religião, Segurança, Sem categoria, Tentativa de Homicídio, Vitória-ES

Tags: , , , , ,

Publicado em 06 maio, 2018 com Sem Comentários

A defesa de Georgeval Alves Gonçalves, o pastor George de 36 anos, preso no último dia 28 de abril, protocolou um pedido na 16ª Delegacia Regional de Linhares para que uma nova perícia particular, com peritos e especialistas de fora do Estado, seja feita.

O requerimento foi entregue na tarde da última sexta-feira, segundo os advogados do pastor. George foi preso por alterar a cena do incêndio na casa onde morreram os meninos Kauã e  Joaquim, no dia 21 de abril, e por atrapalhar as investigações.

A advogada Taycê Aksacki, uma das responsáveis pela defesa do pastor e de sua mulher, Juliana Salles, disse que foram protocolados quatro requerimentos, e um deles foi o pedido da perícia.

“Nós protocolamos quatro requerimentos ontem (sexta-feira). Um deles é, de fato, uma nova perícia. Um perito engenheiro veio de Minas só para a realização desse trabalho, porém, é necessário que o imóvel seja liberado pelas autoridades. Isso ainda não foi feito e não sabemos qual o prazo correto. Sobre os outros três requerimentos, prefiro não comentar”.

Segundo Taycê, até o momento não há evidências concretas da autoria de crime por parte do pastor que justifiquem sua prisão.

A advogada contou ainda que na junta de advogados que está atuando na defesa de George constam os nomes de Hebert Gonçalves e Rodrigo Duarte. Eles estiveram com ela, na tarde de sexta-feira, na sede da 16ª Delegacia Regional de Linhares, para analisar as informações contidas nos autos do inquérito e protocolar o pedido.

Questionada sobre o motivo do pedido de nova perícia, Taycê explicou que ele foi feito pois “é recomendável e oportuno que o advogado, na intenção de defender seu cliente, tanto nas esferas administrativas ou judiciais, tenha sempre a preocupação de munir-se de elementos (provas) e informações técnicas capazes de justificar suas alegações e demais elementos indicados nos autos”.

A respeito da perícia particular, o delegado responsável pelo caso, Romel Pio Júnior disse, na tarde de sexta-feira, que até aquele momento não havia recebido o documento com o pedido da defesa.

 

 

 

Fonte: A Tribuna Online

Sem Comentários

Comentários de Tragédia em Linhares: pedido de nova perícia na casa de pastor estão bloqueados