Incidente com carro de som rende multa de R$ 1 mil ao Atlético de Itapemirim-ES

0
26
Julgamento do Atlético-ES (Foto: Sidney Magno Novo/GloboEsporte.com)
Julgamento do Atlético-ES (Foto: Sidney Magno Novo/GloboEsporte.com)

Time de Itapemirim escapa de punição mais pesada, como a perda de 10 mandos de campo. Segunda Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva julgou caso.

Denunciado pela procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Espírito Santo, por conta dos incidentes na partida contra a Desportiva Ferroviária, pela Copa Espírito Santo 2014, o Atlético-ES escapou de receber uma pena mais severa.

Na noite desta terça-feira, em julgamento realizado na Segunda Comissão Disciplinar do TJD-ES, o time de Itapemirim foi condenado a pagar uma multa de R$ 1 mil, em decorrência dos insultos contra torcedores, membros da comissão técnica e jogadores da Tiva (assista ao vídeo), feitos por uma pessoa não identificada que tomou posse do carro de som que estava no estádio José Olívio Soares.

aNo julgamento, a defesa do Atlético-ES, feita pelo advogado Leonardo Araújo, contestou a veracidade da súmula. No seu argumento. Leonardo afirmou que não existiam provas materiais das pedras atiradas e de outros xingamentos, como indicava os relatos do árbitro Maicom da Silva e do delegado da partida, Mário Ferreira.

Após o pronunciamento da defesa, os membros da comissão iniciaram a votação. O relator Joel Nunes de Menezes Junior e os auditores Antônio Lúcio Ávila Lobo e Arthur Maciel de Medeiros votaram pela aplicação da multa de R$ 1 mil. Já o presidente da comissão, Fioravante Dellagua, e o auditor Winicius Masotti votaram pela penalização de R$ 2 mil mais a perda de um mando de campo. Placar final 3 a 2.

Após o anúncio da pena, o presidente do Galo da Vila, Rubens Pinheiro, comemorou a decisão do Tribunal.

– A justiça foi feita. Foi isso que aconteceu. Tomamos as devidas providências, tanto que fomos multados em mil reais. Acho que a punição foi a mais correta – declarou o dirigente.

Carro de som

O presidente Rubens Pinheiro voltou a se defender ao dizer que a pessoa que pegou o microfone e ofendeu os grenás, não era contratado do Atlético Itapemirim. O presidente ainda afirmou que, no incidente, foram dois torcedores que falaram no carro de som.

– Não era um locutor do clube e sim um torcedor que viu o microfone aberto que falou aquilo. Ali (na denúncia) está constando que foi o mesmo, mas não foi. Quando ele falou pela primeira vez ele saiu correndo e um outro torcedor, no final, pegou o microfone. Então isso descaracteriza que tinha alguém pago pelo Atlético. Apesar disso, já tomamos as providências e isso não vai voltar a acontecer – garantiu o Rubens.

Livre do risco de perder ao menos um mando de campo, o Atlético-ES vai receber o Castelo, no Estádio José Olívio Soares, no dia 11 de outubro, após a paralisação para a realização das eleições 2014. Com 11 pontos e na vice-liderança do Grupo B, o Galo da Vila precisa somente de um empate, nos dois jogos restantes, para garantir a vaga para as semifinais da Copa Espírito Santo.

Fonte: GE